segunda-feira, 23 de março de 2015

A milha filha de quatro patas que é criada pela avó!

Quem me conhece sabe que eu amo animais, quaisquer um deles, não gosto nem de ver aqueles vídeos da África, onde um leão persegue uma zebra porque eu sofro, torço pra zebra conseguir escapar e ao mesmo tempo fico com pena do leão, pois sei que ele precisa comer e esta é a lei natural da vida, mas enfim, sofro e prefino nem ver.

Bom, desde que me conheço por gente tive bichos de estimação, na maioria das vezes gatos e também tive um franguinho uma vez, apesar de sempre querer ter um cachorro, minha mãe só me deixou ter quando já era capaz de cuidar de um, atitude que acho super correta.

Minha primeira cachorrinha foi a Bel, uma Dachshund que só faltava falar. Ela viveu conosco por sete anos e infelizmente se foi por conta de um câncer, nunca fiquei tão triste em toda minha vida (graças a Deus tenho pouca experiência com a morte), era uma dor muito grande e por um tempo pensei que não queria mais cachorro. Claro que este pensamento durou pouco e no ano seguinte eu adotei um filhotinho, a Manu, uma cachorrinha boazinha, pacata, uma graça, virou meu novo amor, dormia comigo todas as noites.

Quando me casei e fui embora para outra cidade minha mãe não me deixou levar a Manu, ela me disse que a cachorra estava acostumada com a casa e que não ia se adaptar num apartamento, mas na verdade eu sei que ela não queria ficar longe dela mesmo...rsrs...meu marido sempre soube que eu não ia aguentar ficar muito tempo sem cachorro e já pensávamos em arrumar algum quando, do nada, parando num posto para abastecer, vejo que tem um pet shop do lado com uma caixa cheia de filhotinhos para adoção, e naquilo de "vamos dar uma olhadinha" eu saí com a Tulipa nos braços...

Uma viralatinha branca com manchinhas caramelo e com uma barriguinha cheia de verme.

Daí que a Tulipinha cresceu e para contrariar toda a experiência que tinha tido até então, ela era uma cachorra agitada, ansiosa e destruidora, destruía tudo que via pela frente e sempre que não estávamos em casa ela latia e chorava muito, consegui levar por um ano até que mudou um vizinho no apartamento em cima do meu e ele passou a reclamar muito da Tulipa, até chegar num ponto do síndico me falar que não dava mais...gente pensa num desespero?

Na hora liguei pra minha mãe e pedi pelo amor de Deus pra ela ficar com a Tulipa pra mim, assim eu não perderia o contato e poderia ficar com ela toda vez que fosse pra Londrina e como tenho uma mãe maravilhosa (e que também ama animais) ela deixou.

Já faz um ano mais ou menos que a minha filha de quatro patas mora com a vó, continua arteira, ansiosa e destruidora, mas também amorosa como ela sempre foi, lá ela tem um quintal bem grande, a Manu para brincar (elas se adoram) e a minha mãe que fica em casa o dia todo, então, ela está ótima.

Agora toda vez que vou pra Londrina, a carrego para todo canto, aperto o tanto que eu quero até matar a minha saudade e ela faz a mesma coisa, pois não pode me ver que já pula no meu colo e me dá um monte de lambeijos. Amor de mãe e filha! :-)


5 comentários:

  1. Como a gente ama esses nossos filhos de 4 patas né!!!

    http://agoraseremostres.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Carol, ela é muito fotogênica rsrs... e tem cara de arteira mesmo rsrs... amo vira-latas, eles tem uma cara de dó que não tem como não se apaixonar rsrs...

    Em casa tenho uma viralatinha, a Cacau, minha irmã que deu, o pai é dachshund mas cruzou com uma viralatinhas pequena ai nasceu a minha cachorra, uma coisinha estranha que quase rela a barriga no chão rsrsrs...

    Antes da Cacau, peguei uma da rua mas ela era muito arteira e fugia do quintal, acredita que castrei ela e mesmo com pontos, na corrente e com cone ela fugiu, eu acho que aquela cachorra não era de Deus rsrs... ai não durou nem 6 meses os vizinhos mataram ela envenenada, chorei, falei que nunca mais queria cachorra mas por fim peguei a Cacau rsrs...

    Bjos
    Ly
    http://nossosdiasnossaespera.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre assim mesmo né Ly!! Quem gosta de bicho não consegue ficar sem...rsrs

      Bjos

      Excluir